PANDEMIA ACELERA PROCESSO DE INOVAÇÃO EM EMPRESAS BRASILEIRAS

O evento Product Masterclass, promovido pela Bossabox, startup que monta squads para desenvolver produtos digitais para médias e grandes empresas, apresentará até o dia 26 de agosto importantes discussões que envolvem o mercado de tecnologia no Brasil e no Mundo. Recentemente, a companhia reuniu especialistas renomados para debates sobre inovação durante o período de pandemia.

Quando questionados sobre o impacto da COVID-19 no processo brasileiro de inovação todos os convidados foram unânimes em seu posicionamento e afirmaram que produtos como telemedicina, videoconferências e sites de compra online não são novidade. Eles apenas foram acelerados e aprimorados para atender a nova necessidade da sociedade. Entretanto, muitas empresas criaram novas soluções e investiram em tecnologia em um curto espaço de tempo. Gustavo Cruz, fundador do Livit, lembra que “as empresas Brasil ao Cubo e a TecVerde criaram um Hospital Modular em tempo recorde no início da pandemia”.

Um contraponto apresentado no debate por Flavio Pripas foi que algo inovador nunca nasce da noite para o dia. “Nada surge como em um lampejo de criatividade de um gênio, na realidade costumam levar anos de conhecimentos acumulados para se tornarem realidade”. Um exemplo citado pelo investidor da Redpoint foi o criador do Pokémon Go!, John Hanke. “John trabalhou com geolocalização durante boa parte da sua vida, inclusive no Google e já havia desenvolvido jogos com a mesma tecnologia no passado. O game dos bichinhos virtuais, portanto, não teria surgido repentinamente, mas de toda uma jornada de esforços nessa área”, completa.

Nesse contexto, os participantes do debate acreditam que é papel das empresas abrirem espaço para a inovação e criar as condições para que novos Johns se desenvolvam e coloquem novidades no mercado. Mas o desafio parece ser mais complexo do que parece, pois além da questão cultural, os próprios processos internos de uma empresa criam um ambiente pouco propício para a inovação. Iza Dezon, fundadora da DEZON, encerra comentando que a estrutura organizacional e seus espaços internos separam as pessoas e muitas vezes sufocam a criação.

Diante disso, os experts comentam que esse é momento de observarmos não só as novas tecnologias, mas de entendermos melhor o nosso relacionamento com elas, afinal, com ou sem uma pandemia em curso, as instituições brasileiras precisam repensar a forma de investir em tecnologia e utilizar produtos digitais que se adequem ao seu negócio e clientes finais.

Fonte: https://saudebusiness.com/ti-e-inovacao/pandemia-acelera-processo-de-inovacao-em-empresas-brasileiras/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP