NA CORRIDA PELO LUCRO, EMPRESAS NÃO PODERÃO COBRAR MAIS DE R$ 210 PELA VACINA

Na corrida global pelo desenvolvimento de uma vacina para o novo coronavírus, empresas farmacêuticas e de biotecnologia estão de olho em um mercado potencial de centenas de bilhões de dólares.

É um mercado novo que pode chegar a US$ 500 bilhões, dado que 6 bilhões de pessoas estão expostas ao vírus, segundo o Morgan Stanley. Os cálculos do banco de investimento partem de preços por dose que chegariam a US$ 225 nos Estados Unidos e na Europa Ocidental. No resto do mundo, os valores seriam mais baixos e acessíveis.

Mas muitos governos que estão financiando parte das pesquisas já alertaram que vão impor um limite para o preço que será cobrado pela dose, caso a vacina seja mesmo desenvolvida.

Esse preço não poderá custar mais de US$ 40 (cerca de R$ 210) na pior das hipóteses. Essa é a visão de uma coalização global de financiamento de vacinas contra o novo coronavírus, o Sars-CoV-2.

Seth Berkley, executivo-chefe da aliança de vacinas Gavi e colíder da Covax, uma coalizão com mais de 150 países para garantir um acesso mundial justo a vacinas contra Covid-19, disse que não tem uma meta de preço específica, mas que tentará negociar valores diferentes para nações ricas e pobres.

O Brasil é um dos países que aderiram a essa aliança global para ter acesso à vacina.

Berkley rejeitou comentários feitos por fontes da União Europeia na semana passada segundo as quais a Covax está visando um preço de US$ 40 para vacinas contra Covid-19 em países ricos. 

“Havia uma gama ampla de números, e elas (fontes da UE) deixaram o número mais alto de fora”, disse Berkley em uma entrevista. Ele ainda disse que representantes da Covax deram “uma variedade de preços diferentes” em uma apresentação a autoridades da UE. “E este (US$ 40) foi o preço máximo na faixa para países de alta renda, em vez de ser um preço definido”, disse ele à Reuters.

A Covax é coliderada pela Gavi, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Coalizão para as Inovações de Prontidão Epidêmica (Cepi). A entidade foi criada para garantir um acesso global rápido e igualitário para vacinas contra Covid-19 assim que elas tiverem sido desenvolvidas.

Seu objetivo é garantir e distribuir suprimentos de 2 bilhões de doses em nações que se filiarem até o final de 2021.

Cedo demais

Berkley, no entanto, disse que a maioria das vacinas ainda se encontra em um estágio de testes tão precoce que é cedo demais para saber qual será o preço final. “A verdade é que ninguém tem ideia de qual será o preço, porque não temos ideia de qual vacina funcionará.”

Ele ponderou que perguntas como qual tecnologia pode ser mais eficaz contra o novo coronavírus, se as vacinas serão de dose única ou dupla e qual pode ser a escala das unidades de produção ainda não têm resposta e que todas essas informações influenciarão o preço final da vacina.

Berkley disse que a Covax e várias outras iniciativas também estão incluindo um “bônus de velocidade” que será incorporado ao custo das vacinas contra Covid-19. Esse bônus incentiva empresas a fabricarem milhões de doses às cegas, mesmo antes de saberem se suas candidatas a vacina funcionam.

“Vemos isso como sendo algo que vai responder por 15% ou 20% do custo da vacina”, estimou.

Fonte:

https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/07/27/na-corrida-pelo-lucro-empresas-nao-poderao-cobrar-mais-de-us-40-pela-vacina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP