Estatística de Doenças no Brasil

Boletim Informativo
Coronavírus – COVID-19
06/202

No momento em que as medidas de isolamento social passam a ser flexibilizadas no estado de São Paulo, temos a necessidade de entender os principais ofensores a vida no Brasil e a partir daí preveni-los com ações simples e individuais de manutenção da saúde. A alimentação saudável, a prática de atividades físicas e consultas periódicas eletivas ajudam a prevenir as mais expressivas causas de óbitos.

Dados coletados do DATASUS com a média de 3 meses em relação a 2018, pelos capítulos do CID 10:

Capítulo do CID-10 – Taxa de óbitos por 1.000.000 habitantes

IX   Doenças do Aparelho Circulatório (inclui Infarto e AVCs – Derrames) 426.9
II    Neoplasias (Câncer) 272.0
X    Doenças do Aparelho Respiratório (inclui Pneumonias) 185.2
XX  Causas Externas de Morbi-Mortalidade (inclui acidentes) 180.0
IV   Doenças Endócrina, Nutricionais e Metabólicas (inclui Diabetes) 97.1
XI   Doenças do Aparelho Digestivo 80.3
I     Doenças Infecciosas e Parasitárias 65.2
XIV Doenças do Aparelho Geniturinário 51.8
 
I      Covid-19 (B34.2) 27.0 (3 meses – março a maio/2020)

Esta demonstração traz a importância de cuidados regulares com a saúde individual da população e, não somente em momentos de epidemias/pandemias.

Principais patologias ofensoras aos brasileiros

O infarto agudo do miocárdio é a principal causa de perdas de vidas no Brasil. Em segundo lugar na lista aparece as doenças cerebrovasculares, que incluem o acidente vascular cerebral (AVC). A mais conhecida delas é a hipertensão arterial, doença que acomete um a cada quatro brasileiros. A hereditariedade, assim como o consumo excessivo de sal e alimentos fritos podem ajudar a desencadear a hipertensão, que é quando a pressão sanguínea do corpo aumenta, fazendo com que o coração tenha que trabalhar mais para fazer o sangue circular.

As perdas provocadas por doenças infecciosas e transmissíveis foram reduzidas pelo maior acesso ao saneamento básico. Houve, no entanto, um aumento no número das ocasionadas por doenças crônicas ou ligadas à causas externas, como acidentes de trânsito e violência.

1° – Infarto agudo do miocárdio
As pessoas com maior risco à um infarto são as que têm uma má alimentação, que realizam poucas atividades físicas e que vivem em ambientes estressantes.

2° – Doenças cerebrovasculares
Na lista dessas doenças está o AVC, conhecido popularmente como derrame. Os principais fatores de risco para elas são o hábito de fumar, o uso de anticoncepcionais, o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, a hipertensão arterial e a obesidade.

3° – Pneumonia
A pneumonia tem como principais fatores de risco o tabagismo e o consumo de álcool, que reduzem a capacidade de defesa do aparelho respiratório. Ambientes com ar-condicionado e baixa hidratação também podem influenciar o surgimento da doença, pois o ar mais seco facilita o acesso dos germes às vias respiratórias.

4° – Alzheimer e outras demências
Atividade física e mental, hidratação adequada, redução da ingesta de bebidas alcoólicas, drogas e ambiente sem stress pode prevenir estas ocorrências

5° – Bronquite, Efisema e Asma
O tabagismo, incluindo o passivo, é o fator de risco mais comum para a bronquite, a efisema e piorar a asma. Outros fatores que contribuem para o desenvolvimento dessas doenças são a inalação de produtos químicos em fábricas e a poluição do ar.

6° – Homicídios por armas de fogo
A maioria das vítimas de armas de fogo está em cidades polo de crescimento nos estados, em fronteiras ou em áreas de turismo predatório.

7° – Diabetes
O risco aumenta nos maiores de 45 anos, com consumo de álcool frequente e com baixa pratica de atividades físicas.

8° – Acidentes de transporte terrestres
O excesso de velocidade, ultrapassagens em lugar indevido, o hábito de não usar cinto de segurança e o consumo de álcool antes de dirigir são as principais causas de mortes nas estradas e ruas do país.

9° – Doença Renal Crônica
A Insuficiência Renal Crônica pode e deve ser prevenida com a ingestão adequada de água diariamente, que ajuda a evitar a formação de cálculos renais, uma das causas mais comuns de infecções urinárias de repetição.

10° – Cirrose e outras Doenças Hepáticas
Excluindo-se outras causas e doenças específicas a prevenção da cirrose se dá evitando a ingestão de bebidas alcoólicas e uso de drogas cronicamente. Estas e outras causas como as acima citadas são tratadas e prevenidas com as visitas eletivas rotineiras ao médico, levando em consideração o histórico familiar e pessoal, para o acompanhamento da saúde e dos riscos da população em geral a fim de tentar evitar a evolução para casos crônicos.

Para todos, uma vida saudável, com exercícios físicos regulares, boa alimentação, bons hábitos de higiene física e mental, evitando o consumo de álcool e drogas, o stress e ambientes com aglomerações e poluídos, pode levar a uma melhor qualidade de vida.

Gestão de Saúde Victory

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP