CORONAVAC, ASTRAZENECA E PFIZER ESTÃO NO MESMO ESTÁGIO DE VALIDAÇÃO NO BRASIL

Neste domingo (22), o Ministério da Saúde informou que o país terá acesso a uma quantidade de doses de vacina suficiente para imunizar um terço da população brasileira.

CNN conversou com o gerente geral de medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, sobre a eficácia dos testes que estão em curso no Brasil.

Mendes explica que, embora a agência não participe das negociações entre o Ministérios da Saúde e desenvolvedores de vacinas, a Anvisa tem sensibilizado as empresas e laboratórios a compartilhar seus dados e resultados, mesmo antes de os estudos estarem concluídos.

“Somos cientistas e temos que avaliar estes dados com muito cuidado.”

O gerente de medicamentos disse também que a agência reguladora não se compromete com nenhum prazo a respeito da implementação das vacinas no Brasil. Até o momento, as únicas vacinas cujas documentações foram enviada foram a Coronavac e a da AstraZeneca.

Apesar da Pfizer ter anunciado a conclusão dos testes de fase 3 — o que pode fazer com que os Estados Unidos iniciem a vacinação já em dezembro –, a empresa ainda não compartilhou os dados com a agência reguladora no Brasil. Dessa forma, segundo Mendes, as três vacinas se encontram no mesmo estágio de liberação.

“Na minha visão todas estão na mesma situação ainda. Não temos condições, no momento, de aprovar nenhuma delas”, conclui.

Sobre o processo para a regulamentação, o gerente de medicamentos explica que quem pede o registro junto à Anvisa é o laboratório fabricante. O Ministério da Saúde, portanto, só começa sua atuação a partir do momento em que a Anvisa autoriza a entrada das doses no território brasileiro.

Fonte:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP