BRASILEIRO PARTICIPANTE DE TESTES DA VACINA DO CORONAVÍRUS REVELA QUE PRIMEIRA DOSE N]AO TEVE EFEITO

Pelo mundo, estão sendo testadas diversas vacinas do coronavírus. Para que elas sejam aprovadas, é necessário fazer testes em humanos e, assim, mostrar que são eficientes. Vitor A., brasileiro que vive em Londres, é um dos voluntários que está testando a vacina da Covid-19. Até o momento, as reações do sistema imunológico foram insuficientes.

Vitor ficou sabendo da possibilidade de participar como voluntário na University College of London e decidiu tentar.

“Há um mês e meio eu recebi a primeira dose. Antes, eles fizeram um monte de exames em mim para ver se eu estava apto ou não a participar. Teve consulta com médico e vários testes, até que saiu que eu tinha sido selecionado. Eles fizeram uma triagem e eu recebi uma dose no começo de agosto”, relatou. Ele não foi informado sobre qual laboratório era responsável pelo desenvolvimento da vacina.

Em um diário online, Vitor tinha de relatar todos os dias como estava se sentindo, se tinha dores no corpo, febre, vermelhidão na região da vacina, ou qualquer outra complicação. Ainda foi disponibilizado um número de contato para emergência. O brasileiro não sentiu nada, mas tampouco ficou imunizado contra a Covid-19.

Toda semana, ele vai até a universidade para fazer exames de sangue. Depois de algum tempo, foi constatado que a dose recebida pelos voluntários era muito baixa. “Um médico me ligou, também recebi uma carta da universidade, e disseram que a dose que tinham dado era muito baixa, então, não provocava uma reação no nosso sistema imune”, explica.

“O que eles falaram é que eles precisavam que essa reação imune no nosso corpo fosse mais prolongada, que ela durou muito pouco tempo.”

Agora, os voluntários foram divididos em dois grupos. Um deles receberá uma segunda dose mais alta e, o segundo, no qual Vitor foi incluído, só voltará a ser vacinado em novembro.

O brasileiro, no entanto, diz que não se sente frustrado com o resultado. “Me sinto fazendo parte de uma história sendo construída”, descreve. Vitor também diz não ter sentido medo, porque se sentia bem assistido por uma equipe completa.

Vitor conta que receberá uma compensação financeira de 500 libras, valor referente aos gastos de deslocamento. “Você tem que ir semanalmente até a universidade, e o metrô de Londres não é nada barato”, brinca.

Fonte:

https://br.noticias.yahoo.com/brasileiro-participante-de-testes-da-vacina-do-coronavirus-revela-que-primeira-dose-nao-teve-efeito-165417039.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP