Acompanhantes e/ou visitantes nos serviços de saúde durante pandemia de Covid-19

Boletim Informativo
Coronavírus – COVID-19
06/2020

Considerando a pandemia do COVID-19 e com o objetivo de garantir segurança no atendimento aos pacientes, a integridade dos acompanhantes, visitantes e trabalhadores do serviço de saúde, assim como a prevenção de infecções, orienta-se:

  • Em serviços de saúde estabelecidos como referência ou retaguarda para atendimento aos pacientes com COVID-19, suspender as visitas sociais a estes pacientes. Caso o serviço não possua fluxo diferenciado para circulação dos demais pacientes e acompanhantes, recomenda-se a suspensão de todas as visitas;
  • Caso o serviço de saúde opte por manter uma rotina de visitas, deve-se reduzir a circulação das pessoas, o número de visitantes e estabelecer horários para sua realização, além de designar sala de espera ampla e ventilada, separada dos demais atendimentos;
  • Converse com a família sobre a possibilidade de se manter um único acompanhante para o paciente durante o período de internação, sendo este com idade entre 18 e 59 anos, sem doenças crônicas ou agudas.
  • Ressalta-se que acompanhante com faixa etária de risco maior para o COVID-19 ou com antecedentes de doenças crônicas/imunossupressão não devem estar na condição de acompanhante;
  • Proibir acompanhantes para os pacientes com Síndrome Gripal (exceto em condições previstas por lei: crianças, idosos e portadores de necessidades especiais);
  • Evite visitas e acompanhantes a pacientes em Unidade de Terapia Intensiva (UTI);
  • Revezamentos de acompanhantes somente se necessário;
  • Em caso de contato direto com o paciente, visitantes ou acompanhantes deverão evitar contato direto com o paciente. Se necessário, deverão ser fornecidas luvas e orientar higiene das mãos sempre que tocar o paciente;
  • Solicitar a saída do acompanhante do quarto/enfermaria em caso de procedimentos geradores de aerossol.


Siga rigorosamente as principais medidas preventivas do Ministério da Saúde:

  • lavar as mãos com água e sabão, na sua ausência, usar álcool em gel;
  • cobrir nariz e boca com lenço ao tossir ou espirrar – quem não o tiver, deve usar o antebraço como barreira, e não as mãos, para evitar tocar em locais que possam contaminar outras pessoas;
  • evitar aglomerações;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • não compartilhar objetos pessoais.

IMPORTANTE

Cada serviço de saúde tem autonomia para orientações específicas, considerando suas características individuais e as recomendações supracitadas, de acordo com as orientações da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).

TOP